Conhecer a Europa é um sonho cobiçado por muitos e se você está programando sua viagem, fique atento ao post. Aqui vou tirar suas dúvidas sobre a documentação exigida para entrada nos países que fazem parte do Tratado de Schengen.

É muito mais simples do que parece, mas é preciso ficar atento a essas informações para que você faça uma viagem tranquila e não tenha problemas na imigração. Então vamos lá e bora viajar!

1 – Passaporte e visto para Europa

Primeiro de tudo passaporte. Este é o item básico para se realizar uma viagem ao exterior (exceto Mercosul). Se você ainda não possuem, assim que der providencie o seu. O passaporte tem validade de 10 anos para adultos e nunca se sabe quando uma oportunidade pode surgir. Então tenha ele em mãos!

Caso você já tenha passaporte, o importante é se atentar a data da validade. Como eu disse acima, o passaporte tem validade de 10 anos. Para entrada na Europa, seu passaporte deve ter validade de pelo menos 90 dias a mais da sua data de retorno. Então você deve se atentar para a data de ida e volta da viagem. Desse modo, seu passaporte precisa estar válido por mais 3 meses após sua data de retorno.

Visto para entrar na Europa

Nota: Não é necessário visto para entrar em nenhum dos países que fazem parte do Tratado de Schengen, que são: Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Eslovênia, Eslováquia, Espanha, Suécia e Suíça.

Embora o Reino Unido tenha saído da União Européia e não faça parte do tratado de Schengen, também não precisa de visto e a lista básica de exigências é a mesma.

2 – Passagem ida e volta

Para entrar na Europa como turista, você deve ter sempre sua passagem de volta comprada e datada. Este é um item comumente solicitado na imigração e alguns agentes implicam caso você não tenha data de retorno.

Se você planeja visitar vários países não tem problema sua passagem de ida ser por Portugal e a de volta ser pela França, por exemplo. Desde que comprove que não vai permanecer no país, você não terá problemas na imigração.

Nota: A entrada na Europa apenas com passagem de ida são aceitas caso você tenha cidadania européia ou quando você tem visto específico de longa permanência no país, como por exemplo, visto de trabalho, de estudo ou reunião familiar.

3 – Seguro Viagem

O seguro viagem é um dos documentos mais importantes e obrigatório em uma viagem para Europa. É necessário que o viajante possua uma assistência de viagens, com valor mínimo de € 30.000, para garantir assistência médica por doença ou acidente.

imagem Pinterest

É muito importante que durante toda a sua viagem, assim como o seu passaporte, seu documento de Seguro Viagem junto com você, para que você tenha fácil acesso em qualquer emergência.

4 – Comprovante de hospedagem

Tenha em mãos suas reserva dos hotéis e/ou hostels que vai ficar em sua estadia pela Europa. É aquele comprovante que você imprime ao fazer sua reserva de hospedagem no Booking ou Airbnb. Nem todo fiscal, mas é bom não arriscar.

Caso vá se hospedar na casa de alguém que more na Europa, é necessário a apresentação de uma carta convite. Existem modelos diferentes para cada país. A pessoa que irá te hospedar deve fazer a carta e seguir o modelo do órgão público emissor. A carta deverá ser carimbada e assinada pelo órgão expedidor. Lembrando, é claro, que a pessoa que vai fazer está carta para você deverá estar legalizada no país.

5- Comprovantes financeiros

Não é regra, mas pode ser que o agente de imigração solicite um comprovante de condições financeiras para se manter na Europa pelo tempo da viagem. Tais comprovantes podem ser: o extrato da sua conta bancária ou VTM, o limite disponível no seu cartão de crédito ou a quantia em espécie mesmo. O valor base para calcular sua permanência varia de 45 a 60 euros por dia.

Tendo todos esses itens em mãos, você precisa ter calma na imigração. Ainda mais se não tiver domínio de língua estrangeira. Não se preocupe, não é nenhum bicho de sete cabeças. Mostre-se tranquilo e responda tudo que for perguntado. 

Apresente apenas os documentos solicitados. Não chegue no balcão jogando tudo para o fiscal da imigração, ele pode achar que você está forçando muito a barra. Apresente o passaporte e tenha em mãos os outros documentos, mas apresente apenas o que ele pedir e responda apenas o que ele perguntar.

Existem países com controle de imigração mais rígido que outros, mas essas dicas reduzem muito o risco de uma negação na imigração, mas nada que seja 100% garantido. Fique tranquilo que tudo vai dar certo e vai curtir sua viagem para Europa.

Ainda tem dúvidas sobre a documentação? Deixe sua pergunta que terei o prazer de ajudar. Você também pode deixar suas dicas, sugestões e comentários.

Passeios e atrações: o que fazer em Praga

Você também pode gostar:

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.